O Que é Miniabdominoplastia e Como Ela Funciona



Quem lê o prefixo “mini”, acredita que a Miniabdominoplastia é uma cirurgia plástica menor ou mais fácil de ser realizada, acreditando que neste procedimento, a cicatriz será reduzida e a recuperação mais fácil.

Apesar de ser utilizada para corrigir a flacidez do abdômen, a Miniabdominoplastia, também chamada de Minidermolipectomia ou Lipominiabdominoplastia, quando associada à Lipoaspiração, possui outras diferenças que a distingue da Abdominoplastia clássica, que vão do tamanho da cirurgia à indicação dos pacientes.

Para entender melhor, vamos ver no detalhe o que é e quais as suas indicações.

 

O que é Miniabdominoplastia?

Uma Miniabdominoplastia é semelhante a uma Abdominoplastia padrão, com algumas diferenças.

Na Miniabdominoplastia, é realizada uma incisão na dobra da cintura, mas muitas vezes (mas nem sempre dependendo da quantidade de pele a ser removida) a incisão não é tão longa quanto no procedimento padrão.

Uma incisão mais curta não significa que você vai cicatrizar mais rápido ou ter uma recuperação mais curta, a diferença no comprimento da incisão não é suficiente para fazer essa diferença.

ADX
AdSense

As feridas cicatrizam lado a lado, não de ponta a ponta, portanto, uma incisão mais curta cicatriza ao mesmo tempo que uma incisão mais longa.

Existem algumas outras diferenças substanciais.

Não há incisão ao redor do umbigo, e é por isso que quando a pele é levantada da parede abdominal, é apenas até o nível do umbigo. Como apenas a parede abdominal inferior é exposta, apenas os músculos abdominais inferiores podem ser tensionados.

 

Quem pode fazer a Miniabdominoplastia?

A Miniabdominoplastia é normalmente indicada para aqueles pacientes que estão no peso ideal ou muito próximos a ele, mas que apresentam flacidez abdominal logo abaixo do umbigo.

Os casos em há afastamento dos músculos reto abdominais apenas nessa região, também podem ser corrigidos com esta cirurgia.

É também recomendado para realizar este procedimento, aqueles pacientes que não conseguem passar pela abdominoplastia tradicional, por não possuírem flacidez que leve a pele acima do umbigo até o púbis.

Lembrando que este, como qualquer outro procedimento só deve ser realizado por um cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).



 

Pré-requisitos para fazer a cirurgia

Como todas as outras cirurgias, antes da realização é preciso que o paciente tenha a devida indicação para o procedimento, além de boas condições de saúde.

Caso possua doenças crônicas como diabetes e hipertensão, estas precisam estar sob controle antes da cirurgia.

Além da parte física, é preciso que a pessoa esteja bem psicologicamente, para que passe bem pelo procedimento.

Por isso a cirurgia é contraindicada para pacientes que possuam obesidade extrema; excesso de gordura visceral; alterações metabólicas, cardiovasculares, pulmonares e de coagulação; instabilidade psíquica; expectativas não compatíveis com a realidade; tabagismo; planos de gestação em curto prazo, entre outras.

 

Pré-operatório da Miniabdominoplastia

No pré-operatório, o cirurgião vai avaliar não só o corpo atual do paciente, bem como os sinais de variações de peso, histórias de gestações, dietas e exercícios, bem como cirurgias abdominais prévias, que podem vir a prejudicar os resultados.

Estando tudo certo, são solicitados exames pré-operatórios como os de sangue, raio X de tórax, exame de urina e eletrocardiograma, além de uma avaliação do risco cirúrgico pelo clínico ou cardiologista.

O paciente também receberá orientação do seu cirurgião plástico em relação ao pré e pós-operatórios e este profissional fará a documentação fotográfica do caso.

Os pacientes são informados da necessidade do jejum mínimo de oito horas antes da cirurgia e a necessidade de suspender os medicamentos que possam alterar a sua coagulação sanguínea.



 

A cirurgia de Miniabdominoplastia

Na Miniabdominoplastia, o cirurgião começa fazendo uma incisão na porção inferior do abdômen, normalmente a 6 cm do púbis e, a pele é retirada ou tracionada até a região central.

Se for necessário, costura-se a musculatura reto abdominal e, após a ressecção desse fuso de pele, faz-se o fechamento por planos do ferimento, colocando o curativo em seguida.

Para o procedimento pode ser realizada tanto a anestesia peridural (aplicada nas costas) que paralisa e tira a sensibilidade da região logo acima do umbigo até as pernas, quanto a anestesia geral.



Existem ainda cirurgiões que realizam o procedimento apenas com anestesia local e sedação.

 

Pós-operatório da Miniabdominoplastia

Apesar dos cuidados necessários, a maioria dos pacientes fica bem para retornar as suas atividades cotidianas, dentro de uma semana após o procedimento.

Importante saber que o edema inicial e os hematomas tendem a demorar a passar, mas uma boa melhora já é observada no período de 21 dias e, o resultado final pode ser observado após 4 a 6 meses, dependendo é claro da recuperação de cada paciente.

Para uma melhor recuperação, recomenda-se evitar tomar sol na região, pois do contrário os hematomas roxos podem virar manchas.

 

Finalizando:

Dúvidas sobre seu médico? Veja nosso artigo Analisando seu Cirurgião Plástico.

Clique e saiba informações sobre o pré-operatório de cirurgia plástica.

Clique e saiba informações sobre o pós-operatório de cirurgia plástica.

Ah, e não se esqueça, deixe o seu comentário abaixo.



Tudo Sobre Cirurgia Plástica

Confira o que você precisa saber sobre Mamoplastia, Mastopexia, Abdominoplastia, Lipoaspiração, Lipoescultura e Rinoplastia no Tudo Sobre Cirurgia Plástica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *